Todo mundo ligado, todo mundo ajudando

Árvore da Vida

Estou relendo um livro chamado “O Ponto de Mutação”, do físico e educador ecológico Fritjof Capra. Gosto muito dele porque sabe explicar as coisas de forma simples, como todo educador deveria saber. Ele apresenta uma ideia diferente chamada “Teoria dos Sistemas Vivos”, que explica a nossa conexão com a Natureza, os animais, plantas, com seu vizinho, amigos, com tudo. É muito fácil de praticar e descobri que fazemos isso na Casa do Zezinho faz tempo. Só não sabia que tinha nome.

Nessa teoria, devemos olhar as coisas vivas como um todo e não apenas aquilo que nos serve. Ele dá o exemplo de uma árvore. Tem gente que enxerga somente a árvore como um adorno, um objeto de beleza ou de alimento (seus frutos). Outros não conseguem nem ver isso. Para entender a verdadeira natureza completa da árvore, precisamos usar a Teoria dos Sistemas Vivos. Ele explica:

“(…)Um pensador de sistemas veria as trocas sazonais entre a árvore e a terra, entre a terra e o céu. Ele veria o ciclo anual que é como uma gigantesca respiração que a Terra realiza com suas florestas, dando-nos o oxigênio, o sopro da vida, ligando a Terra ao céu e nós ao Universo. Um pensador de sistemas veria a vida da árvore somente em relação à vida de toda floresta. Ele veria a árvore como o habitat de pássaros, o lar de insetos. Já se vocês, políticos, tentarem entender a árvore como algo isolado, ficariam intrigados com os milhões de frutos que produz na vida, pois só uma ou duas árvores resultarão deles. Mas se vocês virem a árvore como um membro de um sistema vivo maior, tal abundância de frutos fará sentido, pois centenas de animais e aves sobreviverão graças a eles. A árvore também não sobrevive sozinha. Para tirar água do solo, ela precisa dos fungos que crescem na raiz. O fungo precisa da raiz e a raiz do fungo. Se um morrer, o outro morre também. Há milhões de relações como esta no mundo, cada uma envolvendo uma interdependência. A teoria dos sistemas reconhece esta teia de relações, como a essência de todas as coisas vivas.” – Fritjof Capra – O Ponto de Mutação

O nosso projeto Makaya (www.projetomakaya.org.br/) segue muito esta filosofia. Na CZ falamos sobre o “olhar pequeno” que é aquele que se concentra na criança como o centro do mundo, o ponto principal do desenvolvimento para o futuro. E tem o “efeito bom-dia” que é começar qualquer contato inicial com uma palavra legal, começar o dia elogiando e não reclamando da vida. Estas ações não custam nada mas valem muito.

Qualquer livro de Fritjof Capra oferece mensagens assim, de valor humano, ecológico e pedagógico. O aprendizado pode estar em todo lugar, não apenas em livros sobre o tema que a gente mais estuda, se interessa ou da nossa profissão. Entender isso é ir além das fórmulas prontas e das respostas rápidas para explicar as coisas. Devemos isso a nós mesmos e a nossa felicidade, não acham? Eu acredito que sim. Até a próxima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s