A pipa na tempestade

blog

Superar-se é um processo de evolução, de crescimento. É sair de um estado comum e conhecido para um aumento gradativo de força, transformação e atitude. Pode demorar décadas, centenas de anos ou apenas duas semanas mas é irreversível. Quando a gente se supera, não dá pra voltar atrás, não dá pra esquecer o que se aprendeu com aquela energia que começou a fluir dentro de você, pedindo espaço pra crescer e se liberar/libertar. Já vi acontecer com crianças que recebem o ensino adequado, com adultos que descobrem mais do que sabiam, com a terceira idade que se renova ao ser valorizada por sua experiência e sabedoria de vida. Se você já entendeu sobre qual assunto estou falando é porque esta energia já está em você também. E não há como voltar atrás.

Tem aquela frase famosa que termina com “mas você não pode enganar todo mundo, o tempo todo” e acredito que é isso mesmo. Diante dos fatos e de toda a tecnologia de comunicação que temos, só não enxerga quem não quer. Só que agora, finalmente, todos queremos. Até os omissos, aqueles que preferem não se pronunciar, desejam mudanças de valor no transporte, saúde, escola, educação. E mais. Com juros. É importante lembrar que re-evoluir não é ficar preso a antigos regimes (pré)históricos que nos dizem “o que deve ser” ou “como deve ser”. A verdade é que ninguém sabe. Parte necessária do processo de evolução, é o descobrimento.

Quando comecei a Casa do Zezinho, eu não sabia que iria construir este lugar lindo no meio da necessidade. Eu não sabia que iria contar com gente nova, nascida em tempos que não o meu, que viria com ideias diferentes e interessantes, com energia de mudança e talento de sobra. Não estou falando apenas dos jovens. Profissionais com carreiras conquistadas em outras áreas, de repente, começaram a se questionar sobre o que mais poderiam fazer por si mesmas, por sua família, bairro, cidade. O que poderiam fazer pelo mundo. E estão ao meu lado até hoje. Meus educadores são médicos, arquitetos, advogados, publicitários, empresários. A primeira revolução é sempre da consciência.

Certa vez, um cientista resolveu amarrar uma chave em uma pipa na tempestade para testar uma teoria doida sobre a eletricidade (descubra quem foi aqui e aqui). Centenas de anos depois, temos luz. Sua motivação não era por um partido político, por uma causa determinada, por uma ideologia. Era pela evolução da Humanidade. Te vejo por aqui.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s