Quem é muito querido a mim

Educador Gígio e Tia Dag durante Campeonato de Capoeira promovido pela Casa do Zezinho
Educador Gígio e Tia Dag durante Campeonato de Capoeira promovido pela Casa do Zezinho

“Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento.” – Érico Veríssimo

Mais uma reunião, mais um acompanhamento de metas. Mais projetos, mais educadores entrando, mais busca por parceiros de valor e consciência. O peso da responsabilidade faz doer a cabeça e tensiona os ombros. Decisões, mudança, transformação, perda. Sim, perda.

Não existe escolha sem perda, sem definição de caminho. Quem não define caminho, vive na encruzilhada, em cima do muro. E não existe essa coisa de caminhos, no plural, porque eu só tenho duas pernas e uma cabeça. Então, preciso escolher. E minhas escolhas afetam uma série de pessoas maravilhosas que decidiram me acompanhar. Afetam minhas crianças, meus parceiros, meus educadores, essas partes de mim que o destino trouxe de volta para me encontrar e me dar mais força de trabalho, mais sentido e direção. Eu sou eu mais os outros.

Se algum de vocês que me leem, um dia, resolverem abrir uma ONG, um orfanato, uma creche ou qualquer outro movimento de ajuda ao próximo, lembrem disso: valor humano.

Não existe movimento sem valor humano. Eu não sou de dourar a pílula. A solidariedade é um exercício de tolerância e paciência pelos males do mundo, pela ignorância e adversidades que nos desafiam a fracassar e se decepcionar pelos exemplos diários da falta de consciência social. E quando surge aquele muro, aquela encruzilhada que fica tentando te desviar pra zona de conforto, aparece também o amigo, o parceiro, aquele que você conseguiu cativar com uma palavra, um texto, uma conversinha, aquele que te lembra porque ainda vale muita a pena lutar pelo que lutamos. Eu (que não sou nada fácil, rs), tenho isso. Em meu marido, minha família, meus educadores, meus parceiros e, principalmente, nos meus Zezinhos e Zezinhas. O valor disso? Inestimável.

Esse artigo é um agradecimento e não é pra ser longo. Uns vão entender mais, outros menos. Mas, para todos, obrigado. E que venha a primavera.

Quem É Muito Querido a Mim

Elba Ramalho

Quem é muito querido
Quem é muito querido a mim
É muito querido a mim

Aquele que não inveja
Que é amigo sincero
De todos os seres vivos
Que não tem senso de posse
Que tem a mesma atitude
Na tristeza ou na alegria
Que é sempre determinado
Tendo a mente e o intelecto
Harmonizados comigo
É muito querido a mim
Harmonizados comigo
É muito querido a mim

Quem nunca perturba os outros
Nem se deixa perturbar
Além da dualidade

Do sofrimento e prazer
Livre do medo e da angústia
Também é muito querido
Aquele que não se apega
Nem ao prazer nem à dor
Que não rejeita ou deseja
Ao que agrada ou aborrece
Renunciando igualmente
É muito querido a mim
Renunciando igualmente
É muito querido a mim
Quem age do mesmo modo
Com amigos e inimigos
E não muda de atitude
No ostracismo ou na glória
No sucesso ou no fracasso
Que nunca se contamina
E sempre fica contente
Com o que lhe é oferecido
Este me é muito querido
É muito querido a mim

Este me é muito querido
É muito querido a mim

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s