Sobre Crianças e Planetas

Crianças e Planetas“Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem.”
Carlos Drummond de Andrade

Às Vezes, minha sala na Casa do Zezinho é palco para conversas que realmente transformam o pensar, refrescam minhas ideias e renovam positivamente o caminho do Educador. E, para minha sorte, não é raro isso acontecer.

Desta vez foi com um amigo e parceiro de longa data que veio me visitar e trazer suas novidades, sempre com um espaço no coração para CZ e para nossa amizade. Em certo ponto do nosso papo, ele soltou algo como “Olha, Tia Dag, esse negócio de que criança é o futuro da humanidade é um saco. Eu entendo o clichê mas criança não é o futuro, é o presente. Elas estão aqui, neste momento, sabe? Eu fico com essa sensação de que é pra cuidar depois, lá na frente. Parece aquela frase-feita dos anos 70, quando o Brasil era o país do Futuro. Estamos em 2015…cadê esse país?”

Putz! Boxe sem luvas, do jeito que eu gosto. Essa, bateu direto no estômago principalmente porque é verdade. Criança é o futuro. O Brasil é o futuro. Cuidar do planeta? Deixa pra 2020 como querem EUA e China que não ratificaram o Protocolo de Kyoto e são responsáveis por 45% da emissão de gases poluentes no mundo. Imagine você morrendo de fome e alguém dizendo, calma que no futuro você vai ser alimentado, vai ter casa própria e seus direitos respeitados, aguenta aí!

Teen girl with planet earth.Parece que vivemos em diferentes planetas e não em um só onde todos fazem parte da família-humanidade. Educador que se preza, sabe que criança não é biscoito da sorte nem aposta de jogo do bicho. Meu amigo não é Educador de profissão mas é consciente do seu papel no mundo, da própria responsabilidade. Escrevi uma vez que cada criança e jovem é uma estrela pelo seu brilho. Na verdade são muito mais. São universos a serem descoberto AGORA. Que precisam do que precisam AGORA. Falar em futuro é deixar pro outro resolver. Por isso que o nome da Casa do Zezinho surgiu do poema do Carlos Drummond de Andrade que tem uma parte que diz:

“a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?”

Sacou? Se cada criança é um universo, o Universo não para, o tempo não espera ninguém e cada dia deveria ser aproveitado com o nosso melhor. Esperar a reação não é participar do resultado. Sem ação dirigida, objetiva e prática eu não teria uma Ong. Essa coisa de primeiro, segundo e terceiro mundo é fronteira que nos separa e cria um paternalismo passivo na educação, no mercado de trabalho e nas oportunidades que perdemos, sonhando com o “um” futuro. Eu tenho uma fila de jovens querendo trabalhar, quem quer contratar AGORA? Eu tenho outra fila de crianças querendo mais conhecimento, participação, amigos e carinho. Elas querem tudo isso AGORA. Eu tenho uma sala de aula cheia de pessoas aprendendo a ler e escrever pela primeira vez, fazendo contas e se sentindo úteis de novo, não no futuro, mas se sentindo parte do mundo AGORA. Essa é uma realidade que não pode esperar.

Valeu pela visita meu amigo. Até a próxima!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s