QUE TAL FAZER UM JARDIM?

Desde muito tempo atrás, observar a natureza é a fonte de conhecimento e aprendizagem para o homem. Esse processo empírico nos guiou por teorias e especulações que levaram a humanidade a evoluir. Esses pensamentos se tornaram conhecimentos aprofundados de algo, ou Ciências – como a filosofia, astrologia e mitologia por exemplo – que baseavam-se nos quatro elementos para designar características, personalidade e até tendências de comportamento.
Eu sempre acreditei que os quatro elementos não funcionam somente como parte integrante da estrutura física do planeta, sempre entendi eles como reflexo dos vários planos de existência do ser humano.
A Terra representa a estrutura do corpo físico, receptiva, Dionísia – que assim como a água, se manifestam de modo mais inconsciente e intuitivo – que tem como qualidade característica ser quente e úmida, fértil. A Terra representa as sensações.
Essa semana celebramos o Dia da Terra e eu decidi escrever sobre a sua função pura e essencial: dar base, gerar frutos e perdurar.
Lavoisier costumava dizer que na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma, e isso é o que temos feito. Esse químico Frances, que viveu lá pelo século XVIII só observou, e geniosamente, escreveu o que de fato acontece.
A Natureza é o lugar onde todos nós vivemos – hoje em dia mais disfarçada de selva de pedras, mas ainda assim é o nosso mundo natural. O que cada um tem feito por esse mundo? Ao descobrirmos a força e a influencia da Natureza, o ser humano foi capar de se adaptar e evoluir enquanto espécie, mas em algum momento nos perdemos desses antigos ensinamentos e acabamos gerando um mundo injusto. Muitas vezes cinza.
Que tal voltarmos a colorir tudo isso?
Nos caminhos que percorri encontrei algumas sementes do bem para colher! Tive a oportunidade de replantá-las em cada coração que se aproximou, e aos poucos pude vê-las brotar – pelo menos a maioria delas. Transformaram-se em flores, de amor.
Reguei cada uma com muito carinho, as vezes com as minhas próprias lágrimas. Distribui raios de luz para que brotassem e germinassem em cada coração
Aos poucos percebi que cresciam, multiplicavam.
Conquistei amigos e os acolhi em minha plantação. Dividimos as temerosas tempestades e depois as calmarias. Sorrimos e choramos, sempre juntos.
Para cada amigo uma flor brotou, diferentes umas das outras, mas com a mesma essência e encanto.
Qual foi o resultado desse trabalho então? Olhar em volta e ver a variedade de flores e cheiros que reunimos nesses 21 anos de plantação.
Aproveite o dia da Terra para repensar, e plante sementes também!
Axé

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s